ORGANIZAÇÃO DO BLOG

Foi iniciada hoje uma operação de organização do blog. Materiais serão separados, postagens sem link válido serão corrigidas e por isso algumas coisas serão postadas novamente e estarão no inicio do blog com marcação temática para facilitar a busca.
A localização das atividades serão mostradas em video no interior da postagem para facilitar seu acesso e consulta.
E você que ainda não viu vantagem em adquirir o acesso, vai ter a oportunidade de ver mais de perto quanto tempo perdeu buscando materiais por aí que estavam formatados e prontinhos para impressão em nossos discos virtuais.

MATEMÁTICA - analise de dados


MATEMÁTICA - resolvendo operações



MATEMÁTICA - resolvendo operações


MATEMÁTICA - estudando gráficos


MATEMÁTICA - horas


MATEMÁTICA - meses do ano


MATEMÁTICA - valor posicional


MATEMÁTICA - sistema monetário





MATEMÁTICA - situações problemas



ALFABETIZAÇÃO - letra B


ALFABETIZAÇÃO - letra B


ALFABETIZAÇÃO - letra B


ALFABETIZAÇÃO - letra B


ALFABETIZAÇÃO - letra B


ALFABETIZAÇÃO - cruzadinha


ALFABETIZAÇÃO - cruzadinha


ALFABETIZAÇÃO - escrevendo palavras


ALFABETIZAÇÃO - escrita de palavras


EDUCAÇÃO INFANTIL - emoções


EDUCAÇÃO INFANTIL - brincando com as cores


EDUCAÇÃO INFANTIL - educação para o trânsito

Se os alunos tiverem ambulância, carro de bombeiros, carro de polícia ou motociclista policial de brinquedo, podem trazer para a escola no dia combinado. Quem não tiver, pode adaptar um carrinho ou motocicleta com adesivos. Basta recortar etiquetas brancas na forma de estrelas e pintá-las de preto. Em outra etiqueta escreve-se a palavra polícia. Para as sirenes, o ideal é a massinha de modelar. Deixe que as crianças brinquem livremente com seus carrinhos e representem as situações em que eles estão presentes. Amplie a compreensão desse tema, fazendo perguntas:
.Por que será que esses tipos de carro e moto tem sirene?
.Se um desses carros começa a tocar a sirene no meio do trânsito, o que os motoristas de outros carros devem fazer?
.Por que será que o carro de bombeiros é vermelho? (É visto mais facilmente no trânsito, lembra a cor do fogo).
.Como será que é uma ambulância por dentro?
.Como é o uniforme das pessoas que usam cada um desses tipos de veículo?
.Por que a ambulância e o carro de bombeiros tem as palavras ambulância e bombeiros escritos ao contrário? (Para que possam ser lidas pelos motoristas de outros carros, usando o espelho retrovisor).

Com os alunos, faça carrinhos usando caixas de papelão.
Primeiro,retire a tampa e o fundo da caixa. Faça alças com barbante. Desenhe as portas, as lanternas, os faróis, a chapa e outros detalhes do carro ou cole papel colorido para representá-los.
Para essa atividade, separe com antecedência modelos e materiais adequados, como cartolina e lápis de cor ou papel celofane vermelho, amarelo e verde para representar as cores dos semáforos.
Quando tudo estiver pronto, escolha um lugar do pátio em que se possa representar uma rua ou estrada fictícia. Alguns alunos podem representar guardas de trânsito, outros podem ser os pedestres, e outros, os motoristas dos carros. É interessante trocar os papéis, para que todos tenham oportunidade de atuar como guarda, pedestre e motorista.
Converse com os alunos sobre a lei que regulamenta o transporte escolar. Esse é um modo de perceberem que há leis estabelecidas para o funcionamento da sociedade. A lei de transito diz o seguinte:
.o veículo escolar deve ter uma faixa amarela na qual deve estar escrita a palavra ESCOLAR  pintada em preto dos dois lados do carro e na parte traseira.
.o motorista e todos os passageiros devem usar cinto de segurança.
.o motorista deve ter mais de 21 anos.

Converse com os alunos sobre os espaços da cidade reservados ao trânsito de carros e ao transito de pedestres. Como é feita essa organização? Se possível, faça um passeio pelo quarteirão da escola, para observar esse aspecto da cidade. na volta, os alunos desenham o que viram e montam uma exposição na classe.

EDUCAÇÃO INFANTIL - formas geométricas


EDUCAÇÃO INFANTIL - pinte a professora e seus alunos


EDUCAÇÃO INFANTIL - projeto folclore


 

PROJETO: FOLCLORE

1.   TEMA

         Folclore

2.   ESCOLA

3.    

4.   CLIENTELA

          Pré escola

5.   ÁREA DE CONHECIMENTO

         *Identidade e Autonomia

*Linguagem Oral e Escrita

*Matemática

*Artes (Educação Artística)

*Natureza e Sociedade

*Música

*Movimento (Educação Física) 

6.   JUSTIFICATIVA:

 O saber popular é um dos pontos de partida para o fazer pedagógico, buscando assim ampliar o conhecimento, compreensão e análise das conquistas dessa cultura e seus diversos determinantes, além da importância de se preservar as tradições de um povo.

7.   OJETIVOS:

  • Repassar valores culturais.
  • Resgatar a importância do Folclore.
  • Conhecer músicas e brincadeiras folclóricas.
  • Desenvolver e estimular a coordenação viso motora.
  • Socializar.
  • Estimular o ritmo.
  • Desenvolver a linguagem oral e escrita.
  • Desenvolver a criatividade.

    7 - ESTRUTURA PROGRAMÁTICA:

    Em cada etapa do projeto, serão propostas atividades visando resgatar a  cultura popular.

 Conteúdos Conceituais

  • Contos de Lendas:
  • Estudo do Meio: Passeio ao Casarão.

     Conteúdos procedimentais

  • Artes: quebra-cabeças sobre personagens das lendas, oficina de artes: bilboquê.
  • Textos (poesias).
  • Músicas.
  • Cruzadinha.
  • Adivinhas.
  • Atividades matemáticas.
  • Pesquisas.
  • Caça-palavras.
  • Jogos e brincadeiras.
  • Liga-pontos.
  • Listagem de brinquedos e brincadeiras

    Conceitos atitudinais

    *Interesse e respeito pela sua cultura.

     *Preservação pela tradição de seus costumes.

1.   PROBLEMATIZAÇÃO:

 Através de um diálogo com os alunos, questionaremos suas próprias experiências sobre as diversas lendas, brincadeiras e brinquedos, músicas, levando-os a pesquisarem com seus pais, avós, tios e outros parentes sobre o tema em questão.

2.   PROCEDIMENTO METODOLÓGICO:

No primeiro momento, trabalharemos Identidade e Autonomia, fazendo uma investigação com os alunos sobre os conhecimentos preexistentes sobre o assunto. Diante de explanações e questionamentos será feita uma listagem com os resultados obtidos:

- Roda da conversa (crianças em círculo)

- Explicar o que é folclore: são lendas, superstições, parlendas, brincadeiras, adivinhas.

Iniciaremos o projeto pesquisando algumas lendas:

- Lenda do Saci

- Lenda da mula sem cabeça

- Lenda do Boitatá

- Lenda do Curupira

Trabalharemos com as lendas, contando-as e reproduzindo-as através de desenhos, caça-palavras e cruzadinhas.

Envolvendo Natureza e Sociedade, faremos um Estudo do Meio, visitando o famoso "Casarão". Também trabalharemos zona rural (campo) e zona urbana (cidade) - o que tem em cada uma.

Envolvendo Ciências, faremos um estudo sobre as ervas como tratamento medicinal, onde será feito um painel.

Na aula de Artes confeccionaremos o bilboquê, o cachimbo do “saci-pererê”.

Na área de Matemática trabalharemos com: quebra-cabeça, seqüência numérica (amarelinha), adição e subtração e situações-problema.

Aproveitaremos a aula de Linguagem Oral para trabalharmos com parlendas.

Sugestões de parlendas:

Uni duni tê

Salamê minguê

Um sorvete colorê

O escolhido foi você.

 

Lá em cima do piano

Tem um copo de veneno

Quem bebeu, morreu

O culpado não fui eu.

 

Hoje é sábado

Pé de quiabo

Amanhã é domingo

Pé de cachimbo

O cachimbo é de ouro

Bate no touro

O touro é valente

Chifra a gente

A gente é fraco

Cai no buraco

O buraco é fundo

Acabou-se o mundo.

 

Um, dois, feijão com arroz

três, quatro, feijão no prato

cinco, seis, no fim do mês

sete, oito, comer biscoito

nove dez comer pastéis.

 

Cadê o toucinho

Que estava aqui?

O gato comeu

Cadê o gato?

Fugiu pro mato

Cadê o mato?

O fogo queimou

Cadê o fogo

A água apagou

Cadê a água?

O boi bebeu

Cadê o boi?

Foi amassar o trigo

Cadê o trigo?

Foi fazer o pão

Cadê o pão?

O padre pegou

Cadê o padre?

Foi rezar a missa

Cadê a missa?

Já se acabou.

 

Também aproveitaremos para trabalharmos com adivinhas, lançando desafios de perguntas:

Sugestões de adivinhas:

*O que é o que é?

Em casa está calado,

No mato está cantando

(machado)

Nasce no mato,

Na mata se cria,

Só dá uma cria.

(bananeira)

Tem asa e não voa

Bico e não belisca

Anda e não tem pé.

(bule)

Quatro na lama,

Quatro na cama,

Dois parafusos,

E um que abana.

(vaca)

Verde come folha,

Encarnado come sangue,

Doce como o mel,

Amargo como o fel.

(café)

 

Tem dente, mas não come,

Tem barba, mas não é homem.

(alho)

Cai da torre,

Não se lasca,

Cai na água,

Se espedaça.

(papel)

D'água nasce,

Na água cresce,

Se botar n' água,

Desaparece.

(sal)

Uma bola, bem feita.

De bom parecer,

Não há carpinteiro,

que saiba fazer.

(lua)

Do tamanho de uma bola,

Enche a casa até a porta.

(lâmpada)

Quando estamos em pé,

Ele está deitado,

Quando estamos deitados

Ele está em pé.

(pé)

No eixo Música e Linguagem Oral trabalharemos com as cantigas populares e conversaremos sobre as brincadeiras que fazem parte do Folclore.

Sugestões de Brincadeiras: EDUCAÇÃO FÍSICA

  • Amarelinha
  • Passa anel
  • Balança caixão
  • Cabra cega
  • Personagens do folclore dentro das brincadeiras

No eixo Movimento, poderemos então trabalhar as brincadeiras propostas pelos alunos.

1.   RECURSOS:

 Materiais:

*Livros de Histórias sobre folclore;

 *Materiais para oficina de Artes: garrafas plásticas vazias (de refrigerante), papel dobradura, palitos de sorvete, cartolina, cola, tintas diversas,...

*Vídeo - Fitas VHS - Sítio do Pica-pau Amarelo.

*Ônibus para passeio. 

2.   AVALIAÇÃO:

 A avaliação será feita através da participação contínua durante as atividades propostas.

          Duração: Dois meses = Agosto e Setembro.

  3- CULMINÂNCIA: Exposição de objetos referentes ao folclore.

 

 

 



            

ALFABETIZAÇÃO - comprometimento da linguagem

COMPROMETIMENTO DA LINGUAGEM...E FUTURAMENTE DA PRÓPRIA ALFABETIZAÇÃO...

A linguagem é um sistema de signos que possibilita o intercâmbio social entre indivíduos que compartilhem desse sistema de representação da realidade. (VYGOTSKY)
É o uso da palavra articulada ou escrita como forma de expressão e de comunicação entre as pessoas. ( AURÉLIO).

Riscos para o desenvolvimento da linguagem
Preste atenção se,
Até os 3 meses
- Não fixa o olhar; 
-Não gira a cabeça em direção ao som; 
- Não varia na voz (alto e baixo); 
- Dificuldades nos movimentos da língua; 
- Dificuldades na deglutição.

Até os 12 meses
- Não se reconhece pelo nome ou apelido; 
-Não diz “mama” “dada’; 
- Não imita sons da fala; 
- Não apresenta intenção comunicativa.

Até os 18 meses
- Não reconhece nomes de objetos presentes em seu meio; 
- Não entende palavras simples; 
- Não produz palavras familiares (ininteligibilidade); 
- Não produz verbos.

Até os 24 meses
-Não compreende frases de duas palavras: 
- Não se refere a objetos sem vê-los; 
-Não produz 20 a 50 palavras; 
-Não produz frases de duas palavras; 
-Não faz perguntas.

Fonte: https://www.facebook.com/NeurocienciasEmBeneficioDaEducacao