Aguarde

Novos tempos pedem novas propostas e soluções.
Inclusão, currículos adaptados, atividades diferenciadas são a tônica do trabalho atual do professor que precisa atender individualmente todos os seus alunos.
E se você encontrasse numa só pesquisa, uma variedade de atividades sobre o mesmo tema, em diferentes níveis de aprofundamento?
Vem aí, os NOVOS DISCOS VIRTUAIS...
Aguarde!

FELIZ ANO NOVO!!!!



Feliz Ano Novo para todos os nossos amigos e amigas
que carinhosamente nos acompanharam durante
a trajetória de nossa caminhada
neste ano de 2009 que está terminando.
Desejo que 2010 seja um ano de realizações
sucesso, saúde e paz!
FELIZ 2010 PARA VOCÊ
e feliz aniversário para mim(dia 01/01/2010) completo 32 anos!!!!
BEIJOSSSSSSSSSS

Matemática segundo ano diversas











Máscaras de carnaval











Projeto dia dos pais

Os presentes com um toque dado pelas crianças são muito mais valiosos para elas e para os pais.




As Pantufas na sala de aula



Material Utilizado: 01 par de Pantufas em malha, tinta de tecido e/ou cola colorida, moldes, sulfite e pincel.



Objetivo:



Estimular a criatividade dos alunos e permitir que se sintam sujeitos atuantes, pois serão eles os artistas criando sua obra para homenagear alguém tão importante.



Desenvolvimento:



Entregue folhas de sulfite para seus alunos e peça que cada um reproduza o que sente pela pessoa que a criou. Após dominar melhor a técnica, eles podem iniciar a pintura na pantufa.

Distribua os pares de pantufas, as tintas e/ou cola para seus alunos decorarem seu presente, deixe-os soltar a criatividade e imaginação para fazerem à pintura que quiserem representando o seu sentimento sobre a malha da pantufa.

Em casos especiais recorte molduras no formato que preferir como: flor, coração etc., depois os alunos poderão pintar dentro desta moldura enfeitando assim seu trabalho. Outra sugestão é pedir que as crianças carimbem a palma da mão ou a planta do pé sobre a frente da pantufa.



Após o show de criatividade, utilize um espaço para as pantufas secarem, depois é só embalar e confeccionar um cartão.



Esta oficina, além de deixarem as crianças mais próximas de quem às cuida presenteando-as, também serão estimuladas na sua coordenação motora fina além de explorar seu potencial criativo e trabalhar sua capacidade de expressar-se.



De mãos dadas, caminharemos juntos. (Frase sobre as pantufas Dia dos Pais)

Mamãe minha paz. (Frase sobre as pantufas Dia das Mães)



O resultado são crianças artistas e presenteados felizes.
















Projeto brincando com as nossas raízes


Fundamentação:



O folclore é um dos principais fatores de identificação de um povo e de sua nacionalidade.

“Toda pessoa é um produtor de cultura e, portanto, um portador de folclore.”

Imbuídos nesse sentimento, buscamos repassar valores culturais levando nossos alunos a tomar contato e valorizar nossas raízes.



Característica do grupo: C.ª à 4ª Série



Objetivos gerais:



Resgatar a importância do folclore e seus valores culturais.

Estimular a linguagem oral

Desenvolver a habilidade de pesquisa e a criatividade

Incentivar o prazer pela leitura, arte, música e dança.

Valorizar a cultura popular, destacando a medicina alternativa.



Desenvolvimento.



Parlendas, lendas, advinhas, frases de pára-choque, trava-língua, fábulas.

Cantigas de roda e danças folclóricas.

Brincadeiras de ontem e hoje, na hora do recreio.

Receitas de comidas típicas da nossa cultura.

Artesanato- oficina de massinha , argila ou sucatas.

Medicina popular.

Confecção de cartazes (lendas) maquetes e máscaras.

Linguagem popular (gíria, ditos populares, prevérbios e superstições.

Leitura de textos: informativos, literários, receitas, cantigas.

Campeonato de advinhas.

Pesquisas orientadas e entrevistas.

Oficina de pipas.

Contação de “causos”.

Gráficos e tabelas.



Culminância



Realização de uma exposição de todos os trabalhos realizados sobre o tema e apresentação de “Bumba meu boi”, Capoeira e danças.

Promover uma Feira de Alimentos Folclóricos. Cada grupo irá participar oferecendo vários tipos de alimentos: pipoca, doces típicos, pamonha e outros alimentos do folclore regional e/ou nacional.

Dramatização de contos e lendas.

Concursos de pipas.

Cantinho da medicina popular.

Exposição de cartazes, máscaras e maquetes.

Contação de causos, pelos pais ou avós.

Exposição do artesanato feito com argila.



Avaliação:



A avaliação é a parte fundamental do processo educativo e ocorre o tempo todo, sempre levando em conta as vivências das crianças, observando-as o tempo todo, levando sempre em conta o estágio anterior ao processo que cada um está realizando e, assim registrando os avanços.

A observação atenta permitirá fazer ajustes nas intervenções, solicitando mais ou menos da performance de cada um. Da mesma forma analise o interesse, o conhecimento da prática de determinada atividade e a cooperação.

Projeto Circo

Circo é sinônimo de alegria! O que eu sugiro é um trabalho com as músicas... Existem várias!!! Muitos CDs de Circo... E a partir das músicas realize grandes espetáculos com seus alunos desenvolvendo as habilidades necessárias para a faixa-etária.


Tem CD dos Saltimbancos, da Xuxa, da Eliana, A música O Circo de Sidney Muller, entre muitas outras...



Atividades práticas: Imitando os profissionais do circo



Atividade 1 : Trabalhando o equilíbrio.



O Malabarista



Fazer traços diferenciados no chão : retos, ondulados, curvas, círculos e outros.



A proposta é as crianças brincarem de andar em cima do risco em diferentes posições como: na ponta dos pés, apenas com os calcanhares, com as mãos na cabeça, com as mãos na cintura, segurando um copo d’água, etc – sem sair de cima dos riscos.



Atividade 2 : Exercício rítmico.





A Bailarina

Um passo pra cá...

Um passo pra lá...

Correndo pra frente e voltando ao lugar

Palminhas vou bater,

Um pulo eu vou dar,

Uma roda bem bonita,

Rodando com os amigos,

Rodando no próprio lugar.



A proposta é conforme a professora for lendo o texto as crianças devem executar os movimentos citados.



Em um segundo momento, colocar em aparelho de som uma música a escolha da professora, sugerimos instrumental, para que as crianças dancem, ritmicamente, livremente.



Atividade 3: Psicomotricidade



A proposta é colocar um colchão no chão, treinar cambalhotas com a ajuda da professora.



Colocar bambolês espalhados e brincar de pular dentro e fora, alternando, etc..



Colocar bancos ou cadeiras e brincar de subir de descer.



Brincar de pular com um pé só, plantar bananeiras, virar estrelas ( de acordo com o nível da turma).



Brincar de equilibrar objetos leves em cima de varetas.



A partir destas sugestões cabe ao professor criar inúmeras outras adaptando-as a sua turma.

Não esqueça de trabalhar a questão dos maus tratos aos animais. Circo sem animais.



Acho isso muito importante e desperta muito o interesse das crianças.



Duas historinhas muito legais:



http://www.feijo.com/~flavia/palhaco.html



http://www.apasfa.org/futuro/elefante.shtml



Para ficar por dentro do assunto:



O arquivo em anexo e estes sites



http://www.educacional.com.br/reportagens/circo/orfei.asp



http://www.centraldocirco.art.br/centraldocirco/o_circo.htm#1



Sugestões:



Assistir ao filme do Dumbo ou Pinóquio com direito a pipoca.



• Não esquecer de um dia antes mandar um convite com rosto de palhaço e pirulito para animar as crianças;



• Pintar o rosto das crianças e colocar chapéu, gravata e nariz de palhaço;



• Construir um palhaço de papel com formas geométricas;



• Se vestir de palhaço para animar as crianças;



As dicas acima são do blog: http://izinet.blog.uol.com.br/



Para integrar com Artes (obras de arte)



www.cmp.rj.gov.br/ petro1/obrasdjanira.htm



http://images.google.com.br/images?svnum=10&hl=pt-BR&lr=lang_pt&q=circo+djanira



http://www.albanytula.org/artcircus.htm



http://www.achieving.com.au/images/grock.jpg





Música: O circo da alegria.



Chegou, chegou

Ta na hora da alegria (bis)

O circo tem palhaço

Tem, tem todo dia...(...)

O Circo

Vai vai vai começar a brincdeira

Que a charanga vai tocar a noite inteira

Vem, vem, vem ver o circo de verdade

Tem, tem, tem picadeiro e qualidade (...)



A foca, O Leão, etc – Vinícius de Moraes



A Bailarina – Toquinho – A casa de brinquedos.





Para colorir



http://br.criancas.yahoo.net/colorir/carnaval/palhaco.html



http://www.pompom.com.br/vamos_colorir/Desenhos/Palhaco/palhaco1.html



http://www.superlagos.com.br/paginas/cantinho/colorir/circo.htm



http://www.kadike.com.br/brincadeiras/files/bichos/elefpb.htm





Dramatização:



Os alunos poderão fazer uma apresentação ou um desfile de fantasias dos personagens circenses (aproveitar o carnaval).



Ex.: palhaços, bailarinas, domador, mágico, etc.







Eles também poderão confeccionar para a dramatização, máscaras dos animais como: macaco, cachorro, elefante, coelho, foca, cavalo, tigre,etc. (utilizando materiais diversos como sucatas, lãs, papeis diversos).

Muitas atividades poderão ser desenvolvidas utilizando os animais do circo. Pesquisa, os sons que emitem, nomes, letra inicial, comparação das letras dos animais com as letras iniciais dos nomes dos amigos, alimentação dos mesmos, espécies, etc.

Dependendo da idade, podem elaborar um cartaz para anunciar este desfile ou dramatização, utilizando a linguagem dos cartazes que anunciam os espetáculos. Convite, lembrancinha, tudo elaborado por eles. No dia do desfile ou apresentação podem fazer um manifesto contra a presença dos animais no circo, mostrando cartazes, desenhos etc.

Dobraduras dos animais para a confecção de um Mural, com os mesmos felizes em seu habitat. Longe do Circo.

Confusão no circo: Dizer às crianças que certo dia, aconteceu uma confusão no circo e os animais receberam a comida trocada. O macaco recebeu peixe, o coelho recebeu banana, o leão recebeu cenoura, e assim por diante. Pedir que as crianças ajudem a resolver esta confusão.

Algumas sugestões são de um livro que todo mundo tem (dia-a-dia do professor). São bem básicas, mas ajudam a ter mais idéias a partir destas.



"As poesias, parlendas, trava-línguas, o jogo de palavras, memorizados e repetidos, possibilitam às crianças atentarem não só aos conteúdos, mas também à forma, aos aspectos sonoros da linguagem, como ritmo e rimas, além das questões culturais e afetivas envolvidas"



( Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: Conhecimento de mundo, vol 3. Brasília, MEC/SEF, 1998, p. 141. )



Sugestões de Atividades:

Ler o poema para os alunos;

Interpretar o poema com as crianças - procurando perceber o que realmente compreenderam sobre o mesmo e desvendar os conhecimentos prévios das crianças sobre o tema;

Aumentar o vocabulário dos alunos a partir das palavras ainda deconhecidas;

Imitar o palhaço desenvolvendo expressão corporal, facial e teatral;

Desenhar o palhaço;

Nomear o palhaço e elaborar uma história coletiva sobre o mesmo;

Colocar uma melodia no poema e cantá-la, dramatizando com os alunos.



Oh! Gente Alegre!

Ninguém enjoa.

Ver o palhaço?

Que coisa boa.



Ele corre,

Cambalhota,

Pula e grita,

Ri e chora,

Quando conta anedota.



A boca é grande

E vermelhinha,

A cara é branca,

Que nem farinha



Helena Pinto Vieira - O Mundo da Criança, Vol 2 . RJ, Delta, 1949.



Projeto brincando com o folclore


1. Justificativa: Na idade pré-escolar, as crianças estão passando por uma transição em relação ao seu comportamento, pois estão começando a mesclar um comportamento anteriormente apenas formado por reflexos (proveniente de quando eram bebês), com uma nova fase: a linguagem. Nesta transição a criança sente necessidade de fingir ser alguém, de fantasiar situações. Daí surge toda a simbologia refletida nas brincadeiras de faz-de-conta. Elas vivem num mundo imaginário onde são capazes de pensar e agir imitando situações variadas. Com isto, vemos a importância de se trabalhar o Folclore. Pensamos aqui, no Folclore como um grande quebra-cabeça, um grande brinquedo, em que cada peça é fundamental: as danças, as lendas, as brincadeiras, as parlendas, as adivinhações, as cantigas, as receitas, os brinquedos, etc. Essas são as peças que formam esse jogo chamado cultura brasileira. Quanto mais se brinca com esse jogo mais se conhece a cultura do nosso país, logo ele não poderia ficar fora do espaço pré-escolar.



2. Objetivo: Promover o desenvolvimento integral das crianças, dentro de um ambiente com propostas lúdicas e de cunho educativo, pois a cultura de um povo é um bem precioso que deve ser cultivado. E nosso objetivo é tirar a poeira da palavra Folclore e brincar com as possibilidades que ela oferece.



4. Conteúdos

a) Conceituais: Construir conceitos com as crianças sobre o que é folclore através de experiências vivenciadas por elas.

b) Procedimentais: Permitir que as crianças se apropriem de conhecimentos da cultura humana como novas formas de brincar, cantar, dançar, falar, etc.

c) Atitudinais: Incentivar a valorização e o respeito pelas diferentes formas de viver de diferentes grupos e pessoas.





5. Áreas

a) Formação Pessoal e Social: socialização, respeito, valorização do outro, autonomia, iniciativa.

b) Linguagem Oral e Escrita: fala, diálogo, argumentação, parlenda, travalíngua, adivinhações, cantigas, escrita, receita, leitura, lendas, textos informativos.

c) Natureza e Sociedade: história dos brinquedos e brincadeiras, diferentes formas de cantar, brincar e contar histórias.

d) Movimento: dança, brincadeiras.

e) Música: cantigas.

f) Arte: dramatização de lendas.

g) Matemática: construção de brinquedos (formas, cores, medidas, receitas).



6. Recursos: livros e revistas (fontes de informação), sucata, papéis coloridos, cola, tesoura, Cds com histórias e cantigas, brinquedos, fantasias, máquina fotográfica, filme fotográfico.



7. Avaliação: A observação das formas de expressão das crianças, de seu envolvimento nas atividades e satisfação nas próprias produções será um instrumento de acompanhamento do trabalho que ajudará na avaliação e no replanejamento da ação educativa.



8 Atividade Culminante: Exposição para os pais, do Projeto Brincando com o Folclore, através de fotos, materiais de pesquisa, materiais coletados e confeccionados pelas crianças e apresentações.





Teatro para o dia das mães 3

COMÉDIA DA VIDA ESCOLAR


Escrita por Gilvana Avelino( Gil)- Minha grande amiga



Apresentação: relataremos alguns fatos cotidianos da vida escolar e também de vocês mamãe.

A mãe sempre entra com o filho e o deixa na escola.

No cenário- uma pessoa sentada (diretora) atendendo ao telefone, mexendo em papéis etc..

Começa a desenrolar os fatos.

MÃE DISTRAÍDA chega e fala:

Gostaria de saber o dia da prova de Português?

Diretora: Foi ontem (responde da mesa)

Mãe: Mas ontem? Eu não sabia! O que vou fazer agora? E meu filho? Coitadinho... Deve ter ido mal pra caramba.

Diretora: Mas essa prova já estava marcada há 15 dias.

Mãe: Meu Deus! Preciso ficar mais ligada. Da próxima vez a senhora me liga um dia antes p ara avisar?

(A mãe sai preocupada com a mão na cabeça)

MÃE CALMA (entrando com o filho)

Diretora: Chamei a senhora aqui para lhe comunicar que seu filho tem ido mal nas provas, perdeu média e eu falo com ele e nem liga. Preciso da ajuda da senhora.

Mãe: I, i.i, i, i! Mas a senhora não sabe que ele é assim mesmo? Desde ano passado a professora reclama das mesmas coisas. Eu também não sei mais o que fazer, ele não me obedece. Já falei que estudar é importante, mas pelo jeito... Aaaaaa! Vê o que vocês podem fazer aí que para mim ta bom! Ele é muito pequeno ainda tem tempo!

(A mãe sai toda pensativa)

MÃE DECIDIDA (PERUA)

A mãe entra lendo um papel e fala:

Hum!HUM! Amanhã tem reunião na escola, preciso me preparar para arrasar no modelito! Aquelas professoras que me aguardem, vou chegar e abalar. Não pensem que elas vão me deixar de baixo astral só causa de algumas reclamações, nem pensar! Eu sou mais eu.

A mãe então se despede da filha (que se veste também bem “peruinha”, bolsinha, batom, cabelos arrumados, pulseiras). A professora que representou usou e abusou da “peruagem", colocou umas unhas postiças bem compridas, batons e tudo mais.

A mãe pega o celular e sai falando como se estivesse marcando cabeleireiro.

A diretora de longe só observa.

MÃE ESPORTIVA:

Entra a mãe com uns alteres na mão e roupa de ginástica dizendo:

Um, dois, um, dois! Tarefa dura é ser mãe, mas eu não abro mão da minha boa forma, já que não posso ir à academia, ela vem até mim. Abdominal enquanto varro a casa, caminhada enquanto levo as crianças para escola, alongamento enquanto espero o sinal da Saída. Essas tarefas me cansam... Mas da saúde eu não posso esquecer.

Pega na barriga dos filhos e dizem q precisam emagrecer, para filhos foram escolhidos as crianças bem magrinhas.

MÃE NERVOSA:

Chega rapidamente gritando e começa a falar:

Hoje quero fazer um “regaço” nessa escola. Bate a mão na mesa da diretora enquanto ela mexe em uns papéis.

Mãe: eu vim aqui para pedir uma explicação para a senhora e saber o porquê minha filhinha chegou toda machucada em casa?

Diretora: Eu posso...

Mãe: não pode nada, se pudesse ter feito alguma coisa não teria acontecido nada com ela.

Diretora: Mas sua filha...

Mãe: Não quero saber, só vim avisar que se não for tomado providências com quem bati na minha menininha eu mesma vou resolver. Procurarei o Conselho Tutelar, a prefeitura e até a polícia se for preciso

Diretora: A senhora...

Mãe: Não quero ouvir mais nenhuma palavra, você está avisada. Se eu voltar aqui de novo, não responsabilizo pelos meus atos.

Enquanto a mãe fala a filha fica mexendo em tudo na mesa, passa debaixo

Mãe: Não quero ouvir mais nenhuma palavra, você está avisada. Se eu voltar aqui de novo, não responsabilizo pelos meus atos.

Enquanto a mãe fala a filha fica mexendo em tudo na mesa, passa debaixo da mesa pula sem parar. Escolher uma criança bem grande e se possível a mãe baixa.

A mãe se despede da filha e sai nervosa, resmungando. A diretora fica com cara de samambaia.



MÃE ATRASADA: Chega andando depressa e puxando uma bolsa de carrinho seu filho sai correndo na frente dizendo q o portão já vai fechar.

Mãe: Desculpe-me, mas outra vez estou chegando atrasada, também com tudo o que me aconteceu hoje pudera... O cachorro latiu a noite toda e amanheceu doente não dormi direito, meu relógio não despertou, o gás acabou bem na hora de fazer o café...

Diretora: Meu Deus!

Mãe: A senhora acha que acabou? Fala filho o que mais aconteceu...

Filho: Bem na hora que fui tomar banho o chuveiro queimou.

Mãe: A van? Não passou e pra piorar o pneu do carro estava furado. Ah, não! Assim não dá! Sabe de uma coisa acho que sou azarada e não atrasada. Vem cá filhinho dá só, mas um beijinho na mamãe... ( beija, beija, beija e sai)

No meio do caminho se lembra de algo e fala:

Faz um favor pede pra professora colocar ele sentado na frente, não gosto que sente atrás.

Diretora: Qualquer semelhança com fatos, pessoas e acontecimentos terá sido mera coincidência.

Ao final da peça as personagens são chamadas e entram em desfile e lê-se a mensagem:

Se as mães fossem perfeitas não seriam tão boas, um dia elas vão entender isso e parar de se esforçar para alcançar a perfeição. Mães sempre querem o melhor para seus filhos, mesmo que para isso tenha que passar de um extremo ao outro.

Mãe é frágil e ao mesmo tempo fera, é luz, é bondade, e essa mistura de atitudes e sentimentos é que fazem com que vocês sejam tão especiais em nossas vidas e principalmente na vida de seus filhos, afinal: AMOR PERFEITO É AMOR DE MÃE.

PARABÉNS

Sonoplastia

Cada mãe tinha sua sonoplastia que era colocada assim que ela entrava como não me lembro do nome da música vou deixar aqui um trecho de cada.

MÃE DISTRAÍDA: “Eu ando sempre no mundo da lua...”

MÃE CALMA: “Ando devagar porque já tive pressa e trago esse sorriso porque já chorei demais...”

MÃE DECIDIDA (PERUA): “Eu vou passar batom, eu vou ficar bonita...” Kelly Key

MÃE ESPORTIVA: “Gordurinha, gordurão vai saindo de montão”... Xuxa

MÃE NERVOSA: “Isso me dá tique- tique nervoso, tique- tique nervos”

MÃE PROTETORA: “Amor sem beijinho, Bochecha sem Claudinho, sou assim sem você...”

MÃE ATRASADA: “Devagar, devagarinho” Martinho da Vila



ESPERO QUE GOSTEM! A PEÇA FOI UM SUCESSO, POIS AS MÃES SE DIVERTIRAM E REFLETIRAM AO MESMO TEMPO.

As personagens foram feitas pelas professoras cada fez em seu turno e os filhos foram alunos.



Uma dica para ser feita pelos menores: o professor narra a peça e as crianças encenam.

Ao final é oferecido um lanche em cada sala (que é fornecido pela prefeitura) e foram feitas novas apresentações cada um em sua sala, deu muito certo.

Priscila





Teatro para o dia das mães 2

Mãe é outra coisa


de Emílio Carlos



PERSONAGENS



- Mãe

- Julinho

- Raquel

- Paulinho

- Narrador



(Entra a Mãe, espanando a casa, roupa de faxina)



NARRADOR - Mãe é outra coisa. Mãe manda a gente tomar banho...



MÃE – Julinho, vai tomar banho.



(Entra Julinho, roupa suja do jogo de futebol)



JULINHO – Ah manhê! Deixa eu ver TV...



MÃE – (mais enfática) Vai tomar banho!



JULINHO – Mas mãe... (tira os tênis e deixa no caminho)



MÃE – (vai com o espanador pra cima dele) Xô, xô, xô...



JULINHO – (sai) Ai, ai.



NARRADOR - ... e a gente vai. Depois chama a gente de volta.



MÃE – (vê os tênis) Julinho! Volte aqui nesse momento!



JULINHO – (voltando) Peraí: é pra ir ou pra voltar.



MÃE – Era pra ir. Mas agora é pra voltar. O que que é isso aqui? (aponta os tênis)



JULINHO – Meus tênis, mãe.



MÃE – Cata.

JULINHO – (faz manha) Ô mãe. Eu tô com dor nas costas de tanto jogar bola.



MÃE – Cata.



JULINHO – E se eu não quiser?



MÃE – (pega-o pela orelha) Cata do mesmo jeito.



JULINHO – Ai, ui, ai. Tá bom, mãe. (pega o tênis) Mais alguma coisa, madame?



MÃE – Banho!



JULINHO – Tá bom...



MÃE – E não use esse tom comigo, mocinho.



JULINHO – (saindo) Falô, véia...



MÃE – Véia é o seu passado, cara de pastel.



NARRADOR – Mãe pega a gente no flagrante.



(Entra Raquel cantarolando, toda arrumada pra sair)



RAQUEL – (música a escolher)



MÃE – Posso saber onde a senhorita vai?



RAQUEL – Pô mãe: vou na balada.



MÃE – Sexta-feira à noite?



RAQUEL – É, por que?



MÃE – Por causa da escola.



RAQUEL – Ah, mãe: Sexta-feira é feriado.



MÃE – Sério? Em qual calendário?



RAQUEL – No meu.



MÃE – Pois no meu não é. Já pra aula mocinha.



RAQUEL – Ah, mãe.



MÃE – E tira essas coisas daqui (tira a bolsinha dela e mais um enfeite de cabelo espalhafatoso).



RAQUEL – Ai, ai.



MÃE – Uniforme, força!



RAQUEL – Puxa vida, viu? Eu não posso fazer o que eu quero...



MÃE – Pode sim.



RAQUEL – Sério?



MÃE – Claro: quando você for casada e tiver seus filhos. Agora xô!



(Raquel sai cantarolando trecho da escrava Isaura)

NARRADOR – Mãe sabe de tudo.



(Entra Paulinho, meio mancando, com o boné tapando um dos olhos, mas tentando disfarçar. A mãe só olha).



MÃE – O que aconteceu?



PAULINHO – Nada não, mãe.



MÃE – Fala.



PAULINHO – Falar o que?



MÃE – O que aconteceu.



PAULINHO – Pisei em falso, só isso.



MÃE – E o olho?



PAULINHO – Nova moda. Boné nos zóio.



MÃE – Ah, boné nos “zóio”. Deixa eu ver.



PAULINHO – (tenta se esquivar) Não tem nada pra ver.



MÃE – Eu te conheço desde antes de você nascer, menino. Deixa eu ver.



PAULINHO – Ah, mãe...



NARRADOR – Não adianta mentir. É verdade: ela te conhece antes de você nascer.



MÃE – Deixa eu ver isso aqui. (tira o boné = aparece um olho roxo) O que que é isso, meu filho?



PAULINHO – Bati no portão de casa.



MÃE – (examinando o olho) Sei. E o portão tem nome: Tonhão.



PAULINHO – Como é que você sabe?



MÃE – Eu te falei, meu filho: deixa a namorada do cara em paz. Mas você me ouviu? Não. Vamos lá pra dentro botar um remedinho.



(vão saindo)

PAULINHO – Ô mãe: eu não sou mais criança.



NARRADOR – Correção: pras mães a gente sempre vai ser criança. No começo a gente estranha, mas depois acostuma. Porque no fim, fala a verdade: ter uma mãe por perto é coisa boa toda vida.



(Entra a mãe e Julinho atrás, com uma meia rasgada na mão)



JULINHO – Ô mãe: costura minha meia. (se aproxima da mãe)



(volta Paulinho)



PAULINHO – Ô mãe: aqui também tá machucado (ergue a perna da bermuda e o joelho tá todo ralado. Se aproxima da mãe).



(Entra Raquel e vai chorar no ombro da mãe)



RAQUEL – Mãe: o Flávio terminou comigo...



(Os três ficam bem juntos dela e ela abraça os 3)



NARRADOR – Por isso, se você ainda tem mãe, dê um abraço nela hoje. Escute mais sua mãe. Porque você não sabe até quando ela vai estar por aqui.



Os Três – Feliz dia das Mães! (beijam a mãe)



(música de final)





Teatro para o dia das mães

TEATRO PARA O DIA DAS MÃES






AUTOR DAS PEÇAS DE TEATRO: Emílio Carlos



Dia das Mães

de Emílio Carlos



(As criança entram. Cada criança faz uma fala. Outra opção é todas falarem juntas. Enquanto falam elas fazem gestos de mímica que ilustrem o que elas estão falando).

(Música: dedilhado de guitarra/violão ou de teclado)



Quando eu era bem pequeno

Ainda era neném

Eu morava dentro da sua barriga

E queria muito lhe conhecer



Eu ficava pensando

Como será que você era

Se era magra ou fofinha

Se era azul ou amarela



Você me dava carinho

Você me dava atenção

Passava a mão na barriga

E aquilo era muito bom



Eu vivia andando por aí

Com você pra todo lugar

Porque você é muito dinâmica

Não é de sentar e parar



O esquisito era quando

Aquele médico passava um gelzinho

E queria, curioso,

Ficar olhando meu rostinho



Nessa hora eu tinha vergonha

E até virava de lado

- Ei dá licença, olha pra lá

Não vê que eu estou pelado?



O tempo passou e eu

Fui ficando maiorzinho

E aí dentro, que era tão gostoso,

Começou a ficar apertadinho



Então eu fiquei sabendo

Que era hora de nascer

Fiquei naquela dúvida

Mas eu queria te ver



Papai do Céu tinha falado

Que um anjo eu ia ter

Mas esqueceu de dizer

Que esse anjo era você.



(Nessa hora as crianças entregam botões de rosa para as mães que estão sentadas na frente, e para as outras mães. Música em homenagem às mães.)





Planejamento Educação Infantil

e. Conteúdo Curricular




e1 - Áreas de conhecimento:



Linguagem Oral e Escrita



Objetivos:





1. Desenvolver a capacidade de expressar-se oralmente com a clareza necessária para ser compreendido;

2. Estimular o interesse pela descoberta do código escrito no meio em que vive;

3. Desenvolver a habilidade de identificar e traçar corretamente as letras e números;



Conteúdos/Estratégias



Maternal



Fevereiro



• Desenhos

• Desenhos Livres

• Histórias

• Conversas

• Anúncios



Março



• Propagandas

• Coordenação motora

• Noções de lateralidade

• Desenhos livres

• Conversas

• Colagens



Abril



• Sons

• Conversas

• Coordenação visomotora

• Colagens

• Ampliação de vocabulário através de histórias

• Desenhos livres

• Colagens

• Sons



Maio



• Percepção Tátil

• Percepção Visual

• Criação de histórias

• Diferenças entre letra e número

• A escrita como forma de comunicação



Junho



• Sons

• Desenhos livres

• Conversas

• Relatos

• Sequências de acontecimentos



Agosto



• Criação de histórias

• Adivinhações

• Trava-língua

• Desenhos



Setembro



• Orientação Espacial

• Localização

• Posição

• Desenho

• Orientação Temporal



Outubro



• Conversas

• Semelhanças

• A escrita como forma de comunicação

• Desenhos

• Desenhos livres

• Igual e diferente



Novembro



• Orientação Temporal

• Orientação espacial

• Histórias

• Colagem

• Dobradura



Dezembro



• Dobraduras

• Desenhos

• Histórias

• Coordenação Motora e Visomotora

• Orientação Espacial

• Relatos de experiências



Pré I - Fevereiro



• Coordenação Visomotora

• Traçados de linhas retas, sinuosas e curvas

• Traçados de linhas contornando objetos

• Desenhos

• A escrita como forma de expressão e comunicação



Março



• Coordenação Visomotora

• Traçado de linhas identificando percurso

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Abril



• Coordenação Visomotora

• Pintura

• Traçados em ritmo gráfico

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Maio



• Percepção Visual

• Figuras de fundo

• Identificação e discriminação: formas e cores

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Junho



• Expressão oral

• Desenvolvimento da fala

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenho

• Agosto



• Conhecendo as vogais - A - e - E -

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Setembro



• Conhecendo as vogais - I - e - O -

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Outubro



• Conhecendo as vogais - U -

• Revisão das vogais

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Novembro



• Textos trabalhando as vogais A E I O U

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Dezembro



• Revisão das Vogais

• Textos

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Pré II - Fevereiro



• Coordenação Visomotora

• Grafismos

• União de pontos

• Desenhos, Pinturas, Recorte e Colagem,

• Labirinto

• Dobraduras

• Vogais - A a, E e, I i, O o, U, u

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Março



• Percepção visual

• Identificação de partes do todo

• Descobrir diferenças

• Localizar semelhanças

• Encontros vocálicos

• Revisão a, e, i, o u.

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Vogais manuscritas maiúsculas



Abril



• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos

• Letras B - C - D



Maio



• Trabalhar com as consoantes

• Identificar e grafar as consoantes minúsculas e maiúsculas

• As letras F - G - H

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• desenhos



Junho



• As letras J - K - L

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Agosto



• As Letras M - N - P

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• desenhos



Setembro

• As letras Q - R - S

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Outubro



• As letras T - V - W

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Novembro



• As Letras X - Y - Z

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos

• Nome completo



Dezembro



• Nome completo de letra cursiva

• Revisão do alfabeto

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons



Pré III - Fevereiro



• Trabalhar o nome completo

• Coordenação Visomotora

• Vogais - 4 tipos de letra

• Jogos -memória, bingo etc

• Encontros vocálicos

• Emprego do acento til (~)

• Família B



Março



• Encontros vocálicos

• Famílias C - D

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos

• Ditado mudo

• Começar o alfabeto com rótulos

• Revisar o nome completo dos alunos



Abril



• As famílias do F - G

• Textos: interpretação

• Ditado de palavras

• Ditado mudo

• Jogos: memória, bingo, dominó de palavras e desenho

• Rótulos

• Fichas de leitura

• Nome da Escola

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Maio



• As famílias do J - L

• Textos: Interpretação, ficha de leitura

• Jogos

• Rótulos

• Ditados de letras, palavras, mudo

• Alfabeto de sucatas

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Junho



• As famílias do M - N

• Interpretações de textos: ficha de leitura.

• Ditados

• Jogos

• Rótulos

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Agosto



• As Famílias do P -Q

• Interpretações de textos

• Cópias de textos da lousa para o caderno

• Ficha de leitura

• Jogos

• Rótulos

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos

• CE - CI



Setembro



• As famílias do R - S - T

• Textos

• Interpretações

• Ditados e fichas de leitura

• Jogos, rótulos

• Alfabeto de sucata

• Som do GE

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Outubro



• As famílias do V- X - Z

• Textos, interpretações, ditados

• Fichas de leitura

• Leitura com gibi, jornal e revista

• Recorte e Colagem

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Novembro



• Revisão das famílias

• Revisão do alfabeto

• Textos variados,

• Jogos, bingo

• Cruzadinhas

• Ditados

• A diferença do CA e K

• As letras K - Y - W



Dezembro



• Colagem

• Revisão de toda a matéria

• Jogos e brincadeiras

• A escrita como forma de comunicação

• Relatos de experiências

• Conversas

• Histórias

• Ampliação de Vocabulário

• Sons

• Desenhos



Referencial Bibliográfico:



REFERENCIAL Nacional de Educação Infantil - MEC - 1999

FERREIRO, E. e outros. Reflexões sobre alfabetização. São Paulo,

Cortez e Autores Associados, 1985.

SARLI, Eny G. e outros. Este Mundo Maravilhoso - Alfabetização

Casa Publicadora Brasileira, 1992.





Matemática

Objetivos:



1. Desenvolver na criança a capacidade de pensar logicamente;

2. Trabalhar problemas relacionados ao seu cotidiano para melhor entendimento do meio em que vive.



Conteúdos:

Maternal



Fevereiro



• Colagem

• Dobradura

Coordenação Visomotora



Março



• Formas Geométricas

• Cores



Abril



• Figuras geométricas

• Percepção tátil

• Quente-frio, áspero-macio

• Cores



Maio



• Esquema Corporal

• Lateralidade

Cores

Junho



• Orientação Espacial

• Dobraduras

• Cores

• Formas geométricas



Agosto



• Esquema Corporal

• Orientação espacial

• localização

• posição

• Apresentação do numeral 0



Setembro



• Cores

• Tamanho

• Semelhança

• Formas geométricas

• Apresentação do numeral 1



Outubro



• Dobraduras

• Apresentação do numeral 3

• Cores

• Percepção Tátil



Novembro



• Figura-fundo

• Semelhança

• Tamanho

• Apresentação do numeral 4

• Orientação Temporal - Dia/Noite



Dezembro



• Dobraduras

• Artes plásticas

• Cores

• Orientação Temporal - Dia/Noite

• Apresentação do numeral 5



Pré I



Fevereiro



• Coordenação Motora

• grafismo

• contorno de figuras

• Desenho

• Pintura

• Recorte e colagem

• Labirinto



Março

• Discriminação Visual

• Cor, forma,

• Igual/Diferente

• Reprodução de figuras

• Relações de afinidades

• Detalhes de cena

• Formação de pares



Abril



• Orientação Espacial

• Aberto/Fechado

• Atrás/na frente/entre

• Dentro/fora

• De frente/de costas

• Em cima/embaixo

• Subindo/descendo

• Esquerda/direita



Maio



• Noções de Geometria

• Linhas abertas/fechadas

• Círculo

• Quadrado

• Triângulo

• Retângulo

• Relação de Dimensão: alto/baixo, maior/menor, pequeno/grande, comprido/curto, grosso/fino, largo/estreito, gordo/magro.



Junho



• Relações de massa e de volume

• cheio/vazio

• leve/pesado

• Relações de quantidade

• mais/menos, pouco/muito

• Noções de conjunto



Agosto



• Numerais 0 e 1



Setembro



• Numerais 2 e 3



Outubro



• Numerais 4 e 5



Novembro



• Revisão de conceitos e de numerais



Dezembro



• Revisão de numerais

• Atividades com resoluções de situações problemas



Pré II - Fevereiro



• Coordenação motora

• Numerais de 0 a 5

• Grafismo

• Contorno de figuras

• Desenho

• Pintura

• Recorte e Colagem

• Labirinto



Março



• Discriminação Visual

• Cor

• Forma

• Igual/Diferente

• Camuflagem

• Complementação de figuras

• Detalhes de cena

• Relações e afinidades



Abril



• Orientação temporal

• Antes/depois

• Ontem/hoje/amanhã

• dia/noite



Maio



• Orientação espacial

• atrás/na frente/no meio/entre

• aberto/fechado

• de frente/de costas

• em cima/embaixo

• em pé/deitado/sentado

• mais longe/mais perto

• mesma posição/posição diferente

• direita/esquerda



Junho



• Noções de geometria

• Linhas abertas

• Linhas fechadas

• mesma forma

• Triângulo - Quadrado - Círculo



Agosto



• Relações de dimensão

• curto/comprido

• grande/pequeno/mesmo tamanho

• grosso/fino

• mais alto/mais baixo

• maior/menor



Setembro



• Sequência e seriação - números

• Relações de massa e volume

• cheio/vazio

• leve/pesado

• Ontem/hoje/amanhã (revisar)



Outubro



• Relações de quantidade

• mais/menos

• muito/pouco/nenhum





Novembro



• Noções de adição/subtração

• Noções de conjunto

• Números

• Par/ímpar



Dezembro



• Revisão de toda a matéria



Pré III



Fevereiro



• Conceitos básicos

• tamanho, quantidade, comprimento

• altura, espessura, textura

• posição, distância, tempo

• Numerais



Março



• Dezena/Unidade

• Geometria: figuras planas, sólidos geométricos, círculo, quadrado, triângulo

• Números



Abril



• Direita/esquerda

• Conjunto: formação, correspondência, tipos de conjunto

• Números

• Ontem/hoje/amanhã



Maio



• Estudando os sinais: = igual / = diferente

• Sequência numérica: antes e depois / pares e impares

• Números



Junho



• Operação da adição

• Números

• Revisão de números

• Dúzia



Agosto



• Início do Sistema de medidas

• Medida de tempo

• Números



Setembro



• Medida de comprimento

• Operação: Subtração

• Números



Outubro



• Operação: adição e subtração

• Medida de capacidade

• Números



Novembro



• Medida de massa

• Revisão de toda a matéria

• Números

• Revisão adição/subtração



Dezembro



• Números

• Revisão dos numerais



Referencial Bibliográfico:



KAMII, Constance. A criança e o número. Campinas, Papirus,

1984.

FERREIRO, E. et alii. Reflexões sobre a alfabetização. São Paulo,

Cortez e Autores Associados, 1985

REFERENCIAL Nacional para a Ed. Infantil - MEC 1999.

Gondim, Maria da Salete A., Lápis na Mão, FTD, 1995



Natureza e Sociedade



Objetivos:



1. Aprofundar as vivências relacionadas à família, à escola, ao grupo de amigos e colegas;

2. Levar a criança a incorporar normas de conduta social, costumes e convenções que fazem parte da cultura em que vive e que são exigidos no processo de adaptação do sujeito à sociedade a que pertence;

3. Organizar e sistematizar os conhecimentos relacionados com a natureza em transformação, aos seres vivos, à ecologia e à qualidade de vida (higiene e saúde).



Conteúdos:



Maternal, Pré I, Pré II e Pré III



SOCIEDADE



FEVEREIRO



A origem do nome.

Endereço e Telefone

Descendência familiar.



MARÇO

Carnaval.

O bairro e a origem da Escola.



ABRIL



Os tipos de casa e as localizações.

Quais os tipos de habitantes.

Dia do Índio

Descobrimento do Brasil



MAIO



As profissões.

O trabalho.

Dia das mães.





JUNHO



Cidades e Regiões

Festa Junina



AGOSTO



Folclore

Dia dos Pais



SETEMBRO



Os meios de Transporte e o Trânsito.

Dia da Árvore

Primavera



OUTUBRO



Animais em extinção.

Dia das Crianças



NOVEMBRO



Proclamação da República e Dia da Bandeira

Meios de Comunicação



DEZEMBRO



Natal



NATUREZA



FEVEREIRO

O corpo humano - as partes, os sentidos, a altura

MARÇO

A nossa alimentação ...e as origens dos alimentos

De onde vem e onde compramos os produtos que consumimos



ABRIL

As estações do ano.

Os períodos do dia.

Os dias da semana.

Os meses do ano.



MAIO

Boas maneiras

Como nós devemos nos comportar e agir



JUNHO

Ecologia e Meio Ambiente

A reciclagem



AGOSTO

O Universo

O planeta Terra

Os planetas

As estrelas

O dia e a noite

O tempo: estações



SETEMBRO

Seres vivos

Seres não vivos



OUTUBRO



Animais

Animais que vivem na água

Animais que vivem no ar

Animais que vivem na terra

Animais com penas

Animais com pêlos

Alimentação dos animais

Onde vivem os animais

Animais domésticos, selvagens e noturnos



NOVEMBRO



Plantas

Partes das plantas

Cuidado com as plantas

Conservando o meio ambiente

O tamanho das plantas

Onde são encontradas

As plantas que trazem benefício ao homem

Do que precisam as plantas: água, luz e sol.



DEZEMBRO



Evite acidentes

Primeiros Socorros



Nas áreas de conhecimento: Formação Pessoal e Social - Identidade e Autonomia, Música, Movimento e Artes Visuais, os objetivos e conteúdosserão os mesmos para todas as classes (Maternal, Pré I, Pré II e



Pré III). O grau de dificuldade para cada classe, será analisado pelas professoras durante o decorrer das atividades. Isso será registrado em planejamento diário e ficará a disposição para supervisão.



Formação Pessoal e Social



Identidade e Autonomia



Objetivos:



1. Experimentar e utilizar os recursos de que dispõem para a satisfação de suas necessidades essenciais, expressando seus desejos, sentimentos, vontades e desagrados, e agindo com progressiva autonomia;

2. Ter uma imagem positiva de si, ampliando sua autoconfiança, identificando cada vez mais suas limitações e possibilidades, e agindo de acordo com elas;

3. Valorizar ações de cooperação e solidariedade, desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração e compartilhando suas vivências;

4. Brincar.



Conteúdos:



Fevereiro - Meu nome, seu nome



Março - Respeito às regras simples de convívio social



Abril - Independência



Maio - Interação - Cooperação - Valorização dos cuidados com os materiais de uso individual e coletivo.



Junho - Participação de meninos e meninas igualmente em brincadeiras de futebol, casinha, pular corda etc.



Agosto - Jogos e brincadeiras



Setembro - Iniciativa para resolver pequenos problemas do cotidiano.



Outubro - Respeito às características pessoais relacionadas ao genêro, etnia, peso, estatura, etc.

Novembro - Participação em situações que envolvam a combinação de algumas regras de convivência em grupo.



Dezembro - Procedimentos básicos de prevenção a acidentes e autocuidado.



Referência Bibliográfica:



REREFENCIAL Nacional para Educação Infantil. - MEC - 1999





Artes Visuais



Objetivos:



1. O desenvolvimento da imaginação criadora, da expressão, da sensibilidade e das capacidades estéticas das crianças.

2. Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diversos materiais, explorando suas características e possibilidades de manuseio.

3. Interessar-se pelas próprias produções, pelas de outras crianças e pelas diversas obras artísticas (nacionais e internacionais).

4. Produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, desenvolvendo o gosto, o cuidado e respeito pelo processo de construção e criação.



Conteúdos:



Durante todo o ano, trabalharemos:

• Exploração e utilização de alguns procedimentos necessários para desenhar, pintar, modelar.

• Criação de desenhos, pinturas, colagens à partir de seu próprio repertório e da utilização dos elementos da linguagem.

• Conhecer e reconhecer obras de pintores famosos como: Picasso, Monet etc.



• Construção com sucatas sendo livre ou dirigida de acordo com o tema trabalhado no mês.

• Modelagens usando massinha ou argila; sendo livre ou dirigida.

• Recortes e colagens explorando assuntos tratados durante o mês, ampliação da linguagem e coordenação dos movimentos.

• Pinturas usando tintas (guache, tinta plástica, giz de cera, canetinha, lápis de cor, anilina, etc.).



Fevereiro - Vincent Van Gogh



Março - Claude Monet



Abril - Michelangelo



Maio - Edward Hopper



Junho - Leonardo Da Vinci



Agosto - Salvador Dali



Setembro - Pablo Picasso



Outubro - Paul Gauguin



Novembro - Paul Klee



Dezembro - Henrique Toulose - Lautrec



Referencia Bibliográfica:



REFERENCIAL Nacional para Educação Infantil - MEC - 1999





Música



Objetivos:





1. Ouvir, perceber e discriminar sons diversos, fontes sonoras e produções musicais.

2. Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais.

3. Perceber e expressar sensações, sentimetnos e pensamentos por meio das músicas.



Conteúdos:



• A exploração de materiais e a escuta de obras músicais para propiciar o contato e experiências com a matéria prima da linguagem musical: o som e o silêncio.

• Interpretação de músicas e canções diversas.

• Participação em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e a música.



Fevereiro - Samba



Março - Valsa



Abril - Pagode



Maio - Rock



Junho - Sertaneja



Agosto - Clássica



Setembro - Romântica



Outubro - Tecno-Music



Novembro - MPB



Dezembro - Natalinas





Referências Bibliográfica:





REFERENCIAL Nacional para Educação Infantil. - MEC - 1999



Movimento



Objetivos:



1. Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo.

2. Ampliar as possibilidades expressivas do próprio movimento, utilizando gestos e o ritmo corporal nas brincadeiras; jogos e demais situações.

3. Controlar gradualmente o próprio movimento, aperfeiçoando os seus recursos de deslocamento e ajustando suas habilidades motoras.



Conteúdos:



• Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração com os outros.

• Percepção das sensações, limites potencialidades, sinais vitais e integridade do próprio corpo.

Participação em brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, etc.

• As músicas, danças, brincadeiras e jogos serão dados de acordo com o tema trabalhado no mês.

• Manipulação de materiais e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades manuais.



Fevereiro

• Esquema corporal - andando ( de frente e de costas), batendo palmas, (com as mãos na cabeça, com as mãos na cintura, etc.); saltando (uma corda em movimento, com os pés juntos, amarelinha); correndo (com as mãos na cabeça, num pé só, em duplas de mãos dadas); marchando (em fila, no mesmo lugar).



Março



• Jogos imitativos - imitar a mamãe (varrendo a casa; passando roupa, o papai pintando a parede);- trabalhar a discriminação auditiva (provocar sons com o próprio corpo: soprar, estalar, bater os pés no chão).



Abril

• Brincadeiras ao ar livre: telefone sem fio, batata quente, macaquinho mandou, atravessando o rio, morto-vivo.



Maio

• Brincadeiras com bola: bola rolada, gira roda, queimada, alerta, vai e vem, túnel, futebol, basquete.



Junho

• Jogos e brincadeiras com sucatas e latas: perna de lata, andando com perna de latas, boliche, trilha de garrafas.



Agosto

• Brincadeiras Folclóricas: corrida do saci, Mia - o gato, duro ou mole, mãe da rua, a corrente que pega a gente, quebra corrente, passa anel.



Setembro

• Jogos e brincadeiras com raquetes: Pingue pongue, andar em linha reta ou zigue-zague, rebatendo a bola para o alto, rebatendo a bola na parede, em dupla com as raquetes rebatendo as bolas, rebater uma vez com a mão direita, outra com a esquerda.



Outubro

• Cantigas de roda: Sambalelê, nesta rua, cana verde, capelinha de melão, o cravo brigou com a rosa, Terezinha de Jesus, alecrim, atirei o pau no gato.



Novembro

• Jogos e brincadeiras com cordas: saltando as cordas, vai e vem com as cordas, corrida com corda, pula-pula com corda.



Dezembro

• Jogos e brincadeiras com arcos: pulando arcos no chão, rolar o arco, acertar as garrafas, jogar para o alto e pegar, brincando de volante, entrar dentro do arco, fazer bambolê, corrida dos arcos.







Referência Bibliográfica:



REFERENCIAL Nacional para Educação Infantil. MEC - 1999



e2 - Unidades de trabalho mensal



- Tema Gerador e Data comemorativa



JANEIRO



20 dia do farmacêutico

Tema possível: a importância desta profissão



FEVEREIRO



16 dia do repórter

Tema possível: a importância desta profissão

27 dia dos velhos

Temas possíveis: relacionamento com as pessoas idosas, dentro e fora do círculo familiar; importância da experiência dos mais velhos; o ciclo vital.



MARÇO

7 dia mundial da oração

Tema possível: por que precisamos rezar?

8 dia intenacional da mulher

Temas possíveis: papéis sociais feminino e masculino; a condição social da mulher; condição da mulher no caso de casais separados.

14 dia nacional da poesia/dia dos animais

Temas possíveis: primeiros contatos com poesia/ conhecer os animais.

15 dia do circo

Temas possíveis: o que você entende por circo; a história do circo; a importância do lazer; o homem é o único animal que ri.

19 dia da escola

Temas possíveis: a função da escola na sociedade; por que existem tantas crianças sem escola no Brasil?

27 dia mundial do teatro





Tema possível: montar peças infantis de autores consagrados ou dos próprios alunos.



ABRIL



1 dia da mentira

Tema possível: o que mentira e o que é imaginação?/ consequências da mentira.

2 dia internacional do livro infantil

Tema possível: comentar sobre a importância da leitura.

2o domingo do mês = Domingo de Páscoa

Tema possível: a origem e importância desta comemoração.

15 dia da conservação do solo

Tema possível: solo bem conservado é a garantia da obtenção de mais alimentos e vida mais saudável.

18 dia nacional do livro infantil e dia de Monteiro Lobato

Temas possíveis: o livro é uma viagem a novos mundos que podemos descobrir/ data de nascimento de Monteiro Lobato.

19 dia do Índio

Temas possíveis: o modo de vida indígena; situação em que vivem os índios brasileiros; lendas e costumes dos índios.

21 dia de Tiradentes

22 dia do descobrimento do Brasil

Temas possíveis: conhecendo as nossas origens; a ousadia do homem ampliando espaços.



MAIO



1 dia do trabalho

Temas possíveis: importância das profissõese os diversos tipos de trabalho; os direitos dos trabalhadores.

5 dia nacional das comunicações

Tema possível: hoje, as pessoas têm inúmeros meios para se comunicarem, então, por que existe gente que se sente tão só?

7 dia do silêncio

Temas possíveis: o que é o silêncio?; importância do silêncio; os sons.

8 dia do pintor



Tema possível: conhecendo os principais pintores brasileiros.

2o domingo do mês = Dia das Mães

Temas possíveis: relacionamento com a mãe; a mãe que trabalha fora; situação das mães em casais separados, sentimento de amor, respeito e cooperação no meio família.

13 dia da abolição da escravidão no Brasil

Temas possíveis: liberdade; situação dos escravos negros no Brasil colonial; preconceito racial.

21 dia da língua nacional ( Português )

Tema possível: importância da língua para expressão de nossos sentimentos e idéias.



JUNHO



1 campanha educativa contra incêndio

5 dia da ecologia/ dia internacional do meio ambiente

Temas possíveis: observação do meio ambiente em que a criança vive; necessidade de preservação da Natureza; conhecer as leis que protegem o meio ambiente; seres mitológicos ligados à Natureza.

12 dia dos namorados

Temas possíveis: as pessoas procuram o seu par, e os animais também; as diversas formas de amor.

festas juninas

Tema possível: diga “não” aos fogos e aos balões.

29 dia do pescador

Temas possíveis: saber diferenciar o pescador profissional e a pesca por esporte. O que é mais importante?

30 dia da vacina

Tema possível: a importância da vacina para as crianças. Que consequências podem causar se alguma criança não tomar a vacina.



JULHO



2 dia do bombeiro

Tema possível: a importância desta profissão.

20 dia internacional do amigo

Tema possível: não só as semelhanças fazem nascer uma grande amizade.



26 dia da vovó

Tema possível: o papel da avó na estrutura familiar.



AGOSTO



2 dia do carteiro

Tema possível: o papel desta profissão para a nossa sociedade.

11 dia do estudante

Tema possível: ser estudante no Brasil é condição de privilégio, não de direito.

12 dia nacional das artes

Tema possível: a importância das manifestações artísticas como forma de expressar nossas emoções.

2o domingo do mês = Dia dos Pais

Tema possível: relacionamento com o pai: como é o seu pai?; pais que moram separados dos filhos; papel do pai na família e na educação dos filhos.

22 dia do folclore

Tema possível: o que é folclore; mitos do nosso folclore; contos de origem oral; lendas.

25 dia do soldado

Tema possível: para que serve o soldado?/ sua importância.



SETEMBRO



1a semana = semana da Pátria

Tema possível: Pátria não é apenas o lugar onde se nasce. É o lugar que se ama, que se defende e que faz chorar quando algo de ruim lhe acontece.

5 dia da Amazônia

Tema possível: você sabia que a Amazônia brasileira ocupa mais de 40% da área do país?

8 dia internacional da alfabetização

Tema possível: a importância da leitura na vida das pessoas.

21 dia da árvore

22 início da primavera

Temas possíveis: importância do verde na vida das pessoas; ciclo das plantas; primavera como momento de renovação de vida.



25 dia nacional do trânsito

Temas possíveis: como está o trânsito na nossa cidade; consequências de não respeitar a sinalização.



30 dia da Bíblia

Tema possível: você conhece o livro sagrado de todas as religiões cristãs?



OUTUBRO



4 dia internacional dos animais / dia do cão

Temas possíveis: tipos de animais domésticos/selvagens; o cão é o melhor amigo do homem.

5 dia da ave

Temas possíveis: tipos de aves; as aves alegram nossa vida; elas devem ou não viver em gaiolas?

12 dia da criança

semana da criança

Temas possíveis: problemas e direitos da criança; a importância de poder brincar.

15 dia do professor

Tema possível: a importância da atuação do professor na educação das crianças.

22 a 28 semana do livro

Temas possíveis: o primeiro livro; o mundo fantástico que os livros revelam.

23 dia da higiene dentária

Temas possíveis:porque devemos escovar os dentes? o que a cárie ocasiona?



25 dia do dentista

Tema possível: a importância desta profissão.



NOVEMBRO



2 dia do inventor

Tema possível: o lado inventivo do ser humano é fundamental para o progresso e bem-estar social.



14 dia nacional da alfabetização

Tema possível: por que ainda é grande o índice de analfabetismo no país?

15 dia da Proclamação da República

Tema possível: você conhece o sistema de governo do seu país?



19 dia da Bandeira

Tema possível: você sabe desenhar e quais são as cores da bandeira brasileira?

22 dia da música

Tema possível: você sabe cantar? mostre.



DEZEMBRO



1 dia Mundial da luta contra a AIDS

10 dia internacional dos direitos humanos

11 dia do agrônomo

20 início do verão

25 Natal



e3 - Projetos



Projeto: FAMÍLIA



Duração: Fevereiro e Março/04



Objetivos:



• Promover a socialização

• Desenvolver o raciocínio e a memória

• desenvolver a criatividade

• Incentivar o gosto por poemas

• Identificar dados pessoais relacionados à sua pessoa

• Identificar e registrar fontes históricas sobre sua vida

• Compreender a história de seus colegas a partir de sua própria história

• Revelar de diversas maneiras a auto-estima

• Pesquisar a história do seu nome ( apenas saber se conhecem)



• Associar a escrita com a Matemática

• Conhecer e entender o seu desenvolvimento

• Saber adaptar-se às influências do meio

• Conhecimento do seu corpo como todo e em partes

• Identificar os cuidados com o corpo

• Desenvimento da linguagem oral

• Conscientização dos órgãos dos sentidos e suas utilidades

• Identificar as pessoas de sua família

• Valorizar a família como um todo

• Conhecer as profissões de sua família

• Valorizar o conceito de moradia

• Desenvolver o gosto pela higiene e organização da casa

• Identificar vários tipos de casas e seus comôdos



Conteúdo



• Eu e meu nome

• Eu e meu corpo

• Eu e minha família

• Eu e minha casa

• Eu e minha escola

• Eu e meus amigos



Estratégia

Eu e meu nome: Daremos início ao projeto fazendo uma pesquisa em casa sobre os dados da criança: dados de quando nasceu e dados atuais para serem comparados durante nossas atividades.

Explicar que nascemos e com o tempo vamos crescendo. Não somos iguais, temos um jeito próprio de ser, características físicas, e um nome que é só nosso (cada um possui um registro que é a certidão de nascimento).

Faremos uma roda para discutirmos o resultado de nossas pesquisas em casa, e assim compararemos as semelhanças e diferenças entre eles.

A 2ª parte da pesquisa é saber porque os pais escolheram o nome e quais outros nomes que tinham em mente; quem escolheu o nome.



Durante as atividades iremos cantar: Se eu fosse um peixinho e soubesse nadar, eu tirava _______lá do fundo do mar.

Depois de trabalharmos com o nome, vamos conhecer o nosso corpo. Iniciaremos fazendo as perguntas: Para que serve a boca? Os dentes? E a língua? Será que é ela que permite sentir o sabor dos alimentos? E o nariz, quem saber dizer para que serve? Quantas orelhas nós temos? Vocês sabem o que tem dentro das orelhas? Para que serve os ouvidos? E os braços e as pernas? E as mãos? E o tronco, quem sabe dizer o que fica dentro do tronco?

Procurar se aprofundar o máximo em cada parte para esclarecer todas as dúvidas.

Orientaremos os alunos a localizarem o coração no próprio corpo. Outros órgãos também serão localizados como o pulmão (por meio de uma respiração lenta, enchendo-se bem o peito) e o estomago (tomando um copo de água e tentando acompanhar o trajeto da água).

Trabalhando com o esquema corporal será escolhida uma criança para servir de modelo no contorno do corpo em uma folha de papel.

Depois cada um irá enfeitar e colocar os detalhes dos olhos, nariz, boca cabelo etc.

Vamos carimbar as mão e os pés em uma folha anotando o número que calça. Em seguida trabalharemos a altura, mediremos na régua que está na parede e depois cortaremos um barbante referente a altura da criança colocando na folha de atividades.

Trabalharemos os sentidos oferecendo estímulos concretos fazendo com que manipulem os objetos, sintam cheiros e sabores diferentes, etc.

Analisaremos com as crianças tudo o que foi estudado até agora. Conversaremos sobre as semelhanças e diferenças de cada um, e se aprofundando no assunto eu e minha família. Levar os alunos a perceberem que não existe um modelo de família. Ressaltar o respeito às diferenças existentes, os hábitos e comportamentos dos diversos tipos de família.

Propor as crianças que contem para os colegas como é o dia-a-dia de sua família, quais são seus hábitos em casa, se ajudam em alguma tarefa caseira, se há tarefas que só os adultos realizam, se existe algo que querem fazer, mas não podem porque é perigoso, se há regras que devem ser obedecidas, como guardar brinquedos, não ver TV o dia todo, etc. Sugerir que comparem se há atividades comuns entre as famílias. Ressaltar a



importância da colaboração entre todos os membros da família nas tarefas diárias.

Conhecer todos os membros de cada família pedindo que cada um fale um pouco sobre cada pessoa de sua família.

Fazer um desenho: Eu e minha família, ilustrando todos os membros dentro de casa e como é a sua casa?

Vamos organizar um passeio no quarteirão da escola para as crianças observarem os diferentes tipos de moradia.

Promover um debate entre os alunos, pergutando porque as moradias são tão diferentes umas das outras. Caminhar a discussão com cuidado, para não expor as crianças a constrangimento.

Cada um falará de sua casa: Como é? Quantos quartos? etc.

Dividir a classe em grupos e sugerir a construção de difentes tipos de moradia com material e sucata.

Orientar as crianças na coleta de materiais e na elaboração de modelos promovendo uma exposição com todos os trabalhos.

Propor a construção de uma maquete da escola com a ajuda de todos. Promeveremos antes disso um passeio pela escola, incentivando as crianças a prestarem bastante atenção na localização das dependências e nos elementos que compõem o espaço físico interno e externo.

Apresentar as pessoas que trabalham na escola, Em seguida vamos promover a Hora da História e contar à classe a história da escola, a origem do seu nome, quando foi fundada, etc.

Conversar com as crianças sobre a importância da participação de todos na limpeza da escola e da sala de aula. Juntamente com elas, elaborar regras para a conservação da sala, registrá-las em um cartaz e fixá-lo no mural.

Quem são meus amigos? Fazer um desenho de sua sala de aula com os seus amigos.

Ressaltar a importância da amizade e da união entre eles.

Propor na roda da conversa o tema amizade. Quem é o meu melhor amigo? Fora da escola,quem são os meus amigos?

Vamos fazer um cartaz para fixar no mural: Meus Amigos (cada um desenhará ele no cartaz e formaremos os amigos da sala).



Avaliação:



Será avaliado o desempenho de cada um no decorrer do projeto.



Como encerramento iremos montar um álbum com todas as atividades realizadas que será mostrado aos pais.



Projeto: AUTO-ESTIMA

(Valorização da vida, o indivíduo integrado na sociedade, boas maneiras e consciência de seus atos).



Duração: Abril / 04



Objetivos:

• Os alunos deverão considerar com alegria sua capacidade de serem cidadãos, valorizando-se como forma de tornarem-se a cada dia críticos e conscientes.

• Reconhecer a capacidade de pensar.

• Reconhecer que o riso é a expressão de felicidade, simpatia, satisfação e alegria.

• Desenvolver a habilidade de ouvir com atenção.

• Reconhecer que são capazes de cooperar uns com os outros e dispor-se a fazê-lo com alegria.

• Reconhecer a beleza do gesto de repartir e dispor-se a praticá-lo com generosidade.

• Cultivar sentimentos de carinho, respeito e amor com as outras pessoas e consigo mesma.

• Ter coragem e vontade de realizar qualquer atividade.

• Reconhecer a nobreza da solidariedade.



Conteúdo:



• Posso crescer

• Posso pensar

• Posso sorrir

• Posso ouvir

• Posso cooperar

• Posso repartir

• Posso gostar dos outros e de mim

• Eu sei fazer



Estratégia:



Eu posso crescer



O projeto irá se iniciar com uma conversa onde o professor despertará nos alunos o entusiasmo pelo próprio crescimento. Lembrá-los de que todos gostamos de crescer e que, de alguma forma, estamos sempre

crescendo. Fazê-los perceber que não é só no tamanho que as pessoas crescem: “Há outras formas de crescimento que são até mais importantes”. Estimular a participação dos alunos perguntando quais seriam elas. Comentar: “Crescemos também em inteligência, educação, bondade, na capacidade de cooperar uns com os outros, de ouví-los e de pensar.

Logo em seguida iremo até a parede onde está a régua, e convidaremos cada aluno a medir sua altura. Coodenar a atividade e anotar num cartãozinho a altura de cada um.



Eu posso pensar



Em outro momento mostraremos uma bola e iremos propor que cada um dos alunos irá inventar uma atividade ou brincadeira com a bola.

Vamos fazer silêncio e pensar. Ouvir cada aluno e comentar: “Viram só que legal? Todos pensaram e explicaram seu pensamento. O pensamento acontece bem escondidinho dentro da gente. Só ficamos conhecendo os pensamentos uns dos outros quando falamos sobre eles. Caso contrário, ele é um segredo só da gente. Nossa cabeça é a fábrica dos pensamentos.



Eu posso sorir



Também iremos brincar de “sorriso fácil”. Os alunos confrontam-se em duplas. Enquanto se olham, cada um tenta fazer o outro sorrir, mantendo-se sério. Ao primeiro sorriso de um deles, a dupla desmancha-se, agrupando-se, então, de um lado, os sérios e, de outro os sorridentes. Segue-se um novo confronto: cada aluno sério forma par com outro sério e cada aluno sorridente com outro sorridente. Verificar quem sorri mais fácil e quem aguenta ficar sério por mais tempo. Questionar o que foi mais fácil na brincadeira: permanecer sério ou sorrir. Comentar o quanto um sorriso

faz bem, pois ele “ilumina o rosto de quem sorri e alegra o coração de quem o vê”.



Eu posso ouvir



Usando o giz, fazer um grande quadrado no chão. Em cada canto do quadrado, desenhar um objeto ou um animal que produza algum som, como um sino, um telefone, um gato, etc. Em fila, os alunos andam sobre o quadrado. À medida que encontrarem as figuras desenhadas, passam a imitar o som correspondente. Conversar sobre a experiência vivida: “Quem ouviu quem nossa brincadeira”?

Levá-los a concluir que todos haviam feito barulho ao mesmo tempo e ninguém tinha conseguido ouvir nada. Propor um momento de silêncio para poderem ouvir os sons e ruídos vindos de fora. Insistir no silêncio total. Comentar o que foi ouvido. Refletir que somos capazes de ouvir os mais variados sons e alguns deles lindos como músicas (deixar que os alunos citem) e sons que não gostamos: trovão (deixar que os alunos citem).



Eu posso cooperar



Cada aluno recebe uma folha de papel e giz. Em duplas, cada aluno deita sobre a folha, um de cada vez, o colega traça o contorno do seu corpo. Feitos os desenhos, os alunos podem fazer o acabamento (cabelos, olhos, etc). Comentar que há coisas na vida que não conseguimos fazer sozinhos. “Para o trabalho de hoje, por exemplo, cada um precisou da ajuda do colega”. Isso acontece com muitas outras coisas: carrega objetos pesados, etc. Se todos cooperam, ninguém se cansa e tudo é feito mais rápido. Fazer uma relação onde os alunos podem cooperar em casa e na escola.



Eu posso repartir



Organizar um lanche comunitário. Os alunos serão motivados a repartir seu lanche com os colegas. Verificar se todos estão partilhando. Propiciar um ambiente de confraternização. Refletir com os alunos sobre a experiência “o que acharam? Foi bom? Por quê?” Fazê-los perceber que



todos se beneficiaram de um lanche variado e diferente e que todos tinham tido um lanche gostoso.



Posso gostar dos outros e de mim



A professora manipula um fantoche que em princípio, monologa, queixando-se de solidão: - “Aí estou tão sozinho...Meu nome é Bizoca. Não tenho amigos...Acho que ninguém gosta de mim...Não sei mais o que fazer...”(dirigindo-se aos alunos). Vocês estão me ouvindo? Vocês me entendem? (chama um aluno). - “Fulano, você também está sozinho? Não? (chama uma menina). - “E você fulana? (depois dirige-se para outros alunos). - “Aí, será que só eu estou assim sozinho?...Como se faz para ter amigos”?

Conversar sobre a situação do boneco: - “Coitado do Bizoca tão sozinho e tão desanimado! Bem que nós poderíamos ajudá-lo. O que vocês acham? Há muitas pessoas que se sentem como Bizoca. O que podíamos dizer a essas pessoas?” Explicar que somos capazes de fazermos amigos, mas para que as pessoas gostem da gente devemos ser educados, gentis e convidá-los para ficarem perto da gente.

Faremos desenhos, pinturas sobre todos os temas e depois iremos expor para que todos possam observar nosso trabalho.



Avaliação:



Será avaliada a participação nas atividades e brincadeiras realizadas. A criatividade e o respeito com o assunto.

Fecharemos o projeto com uma exposição dos trabalhos desenvolvidos na escola.



Projeto: SENTIMENTOS (amizade e medo)



Duração: Maio/04



Objetivos:



• Cultivar sentimento de carinho, respeito e amor com outras pessoas e consigo mesmo;

• Compreender os próprios sentimentos;

• Estimular a fala de seus sentimentos em roda de conversa;

• Reconhecer que são capazes de cooperar uns com os outros e dispor-se a fazê-lo com alegria;

• Proporcionar conversas sobre raiva, medo, ciúmes e amizade;

• Estimular a prática de bons sentimentos que proporcionam o bem a si mesmo e as outras pessoas;

• Trabalhar a cooperação;

• Desenvolver a imaginação, criatividade e coordenação;

• Identificar semelhanças e diferença entre os sentimentos (ciúme/amizade)



Estratégia:



Promoveremos em sala de aula, atividades nas quais as crianças cooperarão com seus amiguinhos e com a professora, proporcionando um ambiente onde possam expressar seus sentimentos e posteriormente em conversas ou relatos saber reconhecê-los.

Através da utilização de fantoches, as crianças criarão e dramatizarão situações ou pequenas histórias que expressem os sentimentos trabalhados.

Realizaremos atividades de cruzadinha, caça-palavras, ditado recorte e colagem de figuras que expressam sentimentos, desenhos (medo, melhor amigo), pinturas, cartazes.

Confeccionaremos após esses trabalhos uma lista com itens serão definidos após as conversas entre cada classe, e serão seguidos durante o ano.

Em um outro momento realizaremos um amigo secreto entre os alunos da classe, onde o presente será um cartão confeccionado pela própria criança.



Avaliação:



Avaliaremos a participação das crianças tanto nas atividades como nas conversas. Fecharemos o projeto com a apresentação da lista de como tratar os amigos.



Projeto: FESTA JUNINA





Duração: Junho/04



Objetivos:



• Conhecer o uso e costumes das festas juninas

• Valorizar a tradição desta data

• Desenvolver a linguagem oral e escrita

• Estimular a criatividade e socialização

• Reconhecer as danças, músicas, comidas, roupas, etc.

• Reconhecer o perigo dos balões, fogos e fogueiras.



Conteúdo:



• As festas juninas



Estratégia:

Através de rodas de conversas abordaremos o tema, discutindo os costumes, as roupas, os alimentos, as músicas, as danças, etc.

Conversaremos sobre o perigo das fogueiras, balões e bombinhas.

Faremos uma pesquisa integrando os pais sobre as comidas típicas, onde cada aluno deverá trazer uma receita para montarmos um livro de receitas juninas.

Cada sala escolherá uma receita e iremos para a cozinha prepará-la com a ajuda de todos. Depois montaremos um mural com os rótulos dos ingredientes.

No decorrer do projeto as crianças aprenderão músicas e poesias juninas que também serão dramatizadas.

Será ensaiada uma música, uma dança e uma poesia que será apresentada para os pais.



Avaliação:



Será avaliada as atividades feitas em sala, a participação, o interesse e a criatividade.

Fecharemos o projeto com a conclusão do livro de receitas juninas com a participação dos alunos.





Projeto: PIRACICABA



Duração: Agosto /04



Objetivos:



• Conhecer o meio em que vive;

• Despertar e desenvolver valores sobre a sua cidade;

• Reconhecer e dar importância ao rio Piracicaba;

• Identificar e reconhecer os pontos turísticos;

• Estimular o conhecimento da própria cidade;

• Promover a socialização

• Desenvolver a imaginação e a criatividade;

• Trabalhar a coordenação motora e a memorização;

• Desenvolver habilidade de observação dos pontos turísticos;

• Estimular o sentimento de preservação de nossa cidade.



Estratégia:



Promover rodas de conversa e relatos sobre nossa cidade, sobre o meio em que cada um vive. Faremos desenhos pinturas, cartazes com recortes sobre os pontos turísticos.

Realizaremos pesquisas e montagem de textos coletivos. Ensinaremos o hino de Piracicaba, desenvolvendo a partir dele, trabalho com as letras do alfabeto, interpretação, cruzadinhas acrósticos. Montaremos maquetes referentes ao Rio Piracicaba e os Pontos Turísticos.

Faremos pesquisas com a participação dos pais sobre a história de Piracicaba e através desta realizaremos dramatizações onde os alunos criarão itens do cenário da própria história.

Promoveremos também passeios pelos pontos turísticos de Piracicaba como: Casa do Povoador, Casa do Artesão, Engenho Central e a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz.



Avaliação:







Será avaliado a participação, o interesse e a criatividade nas atividades desenvolvidas acima proporcionando um espação para que a criança espontaneamente desenvolva os itens a serem avaliados.

As atividades serão avaliadas para sabermos se houve a compreensão por todos os assuntos.



Projeto: OS MEIOS DE TRANSPORTE E O TRÂNSITO



Duração: Setembro/04



Objetivos:



• Conhecer os meios de transporte aquático, terrestre e aéreo e saber diferenciá-los.

• Conhecer o novo código de trânsito

• Desenvolver a consciência da criança no trânsito

• Identificar as cores do sinal e o significado de cada uma

• Reconhecer a importância da faixa de pedestre

• Identificar as placa de sinalização como o PARE

• Desenvolver a imaginação e a criatividade

• Desenvolver a coordenação motora

• Desenvolver a socialização

• Conhecer os animais usados como meio de transporte

• Conhecer os meios de transporte público como o ônibus



Estratégia:



Promover rodas de conversas sobre os meios de transporte existentes. Diferenciar os meios de transporte motorizados, dos animais que servem de transporte.

Através das fichas vamos separar os meios de transporte usados na água (aquáticos), no ar (aéreo) e no chão (terrestre). Fazer recortes, desenhos, origamis e sucatas destes transportes.

Faremos pesquisas com a participação dos pais sobre os transportes e depois analizaremos: o mais rápido, o maior, o menor, etc.

Depois faremos um mural onde as crianças montarão com o que trouxeram de casa.

Trabalhar o trânsito através de dramatizações, onde os alunos criarão ruas, faróis, faixas de pedestres no pátio da escola.

Aprenderemos as normas do trânsito como observar os faróis, passar na faixa de pedestre, colocar cinto de segurança, não correr com o carro, não colocar o braço para fora da janela, etc...

Construir um semáforo com sucata.

Fazer o livrinho do trânsito com recadinhos e desenhos feitos pelas crianças.

Conhecer alguns sinais como PARE, NÃO ESTACIONE, etc.

Trabalhar versos como:

- “não é um motorista legal, quem bebe e sai dirigindo na maior cara de pau”.

Promover interpretações e desenhos.

Em matemática trabalhar quantidade e adição usando desenhos sobre o tema. Ensaiar músicas onde as mensagens são de alerta aos riscos do trânsito.



Avaliação: Será avaliado a criatividade, a socialização e a participação juntamente com as atividades desenvolvidas.



Projeto: Meio Ambiente



Duração: Outubro/04



Objetivos:

• Desenvolver a criatividade

• Desenvolver a socialização

• Reconhecer o solo como lugar onde plantamos, andamos, construimos, etc.

• Reconhecer os diferentes tipos de solo: arenoso, argiloso, com humus

• Valorizar a água e o ar como fatores de sobrevivencia para o mundo, sem eles nãopoderia existir vida na terra.

• Conscientização sobre a importância do meio ambiente.

• Perceber a ligação do homem com a natureza

• Compreender o ciclo da vida, analisando as fases de crescimento de uma planta e do que elas precisam para se desenvolver



• Conhecer os diversos tipos de plantas

• Conhecer os diversos tipos de árvores

• Aprender as funções específicas de cada uma das partes e a importância das plantas.

• Conhecer os benefícios que as plantas trazem para o homem em forma de alimentos ricos em vitaminas.

• Identificar os diferentes tipos de animais

• Reconhecer os aspectos característicos dos animais

• Reconhecer animais quanto à sua classificação

• Entender a metamorfose dos animais

• Identificar o habitat dos animais

• Distinguir animais nocivos, domésticos, selvagens, etc.

• Reconhecer os cuidados que deve-se ter em relação a fervura e filtragem da àgua; esgotos tratados, lixos ( recicláveis), doenças causadas por não tomar esstes cuidados.



Conteúdo:

A superfície da terra



• O solo

• Tipos de solo

• A água - rios e - mares

• O ar atmosférico



Os seres vivos: plantas e animais



• As plantas

• As partes das plantas

• Desenvolvimento da planta

• As árvores

• A utilidade e cultivação das plantas

• Saneamento básico: esgotos, lixo, reciclagem do lixo, as doenças, desmatamentos, poluição sonora, atmosférica, etc.

• Os animais

• Os mamíferos, as aves, os répteis, os anfíbios, os peixes.



• Como nascem os animais?

• Onde vivem?

• Como são?

• Animais em extinção

• Animais selvagens

• Animais nocivos ao homem



Estratégia:



Daremos início ao projeto com uma conversa sobre o solo, ou seja o chão que pisamos. Dizer que o solo é chamado de terra, que ele é formado de minúsculos pedacinhos de rochas e de animais e vegetais mortos. É no solo que plantamos, andamos, etc... É no solo que vivem a maioria dos animais. Alguns animais vivem dentro do solo: as formigas, minhocas. Explicar que o solo é formado por uma mistura de areia, barro, restos de animais, vegetais e pedras.

Fazer um trabalho com as crianças onde terão que trazer para a sala algum tipo de solo: areia, barro, argila, etc...Faremos desenhos e pinturas.

Sobre a água iremos conversar sobre sua importância para a vida na Terra. Sem água não existe plantação, o homem e os animais. Na Terra, a água é encontrada em vários lugares: no mar, nos rios, nas lagoas, nas fontes, etc...Comentar que as pessoas usam a água para beber, cozinhar lavar roupa, pratos, regar plantas, etc... A água que bebemos é limpa, sem cor, de temperatura agradável e que devemos beber apenas água filtrada ou mineral.

Faremos desenhos, cartazes, pinturas que retratem a importância da água.

Com relação ao ar, explicar que ele está em todos os lugares e que sem ele não existiria vida na Terra. É no ar que encontramos o oxigênio para respirarmos.

O ar tem outras utilidades: Quem sabe quais?

- encher pneus de carro, bicicleta

- encher bolas, bexigas

- movimentar os galhos das árvores, movimentar as ondas do mar.

O vento agradável é chamado de brisa e podemos fazer cata-ventos, empinar pipa, etc. usando uma brisa.



Os ventos muito fortes são destruidores, derrubam casas e levantam muita poeira.

Em locais de maior vegetação o ar é mais puro.

Nas cidades há mais poluição lançada por chaminés, escapamentos de carros.

Propor experiências com bexigas para mostrar que o ar existe apesar de não vermos ou pegarmos.

Conversar com os alunos sobre as plantas: Quais as fases de crescimento e o que é necessário para que ela se desenvolva.

Para isso iremos plantar alguma semente para que possam cuidar e observar seu crescimento. Conheceremos através de figuras a diferença entre um jardim, uma horta e um pomar.

Conversar e mostrar as partes de uma planta (raiz, caule, folhas, frutos, sementes) reconhecendo a importância da cada parte.

Fazer desenhos, passeios em locais de muita vegetação.

Explicaremos aos alunos o tema: Ecologia. O que ele significa e as lutas dos ecologistas em defesa da natureza.

Fazer com os alunos dois cartazes, onde ilustre a natureza sem a agressão do homem e outro com a natureza destruída.

Explicar aos alunos que para amenizar este problema é necessário que cada um faça um pouquinho, como: não jogar lixo nas ruas, nos terrenos, plantar árvores e flores, etc.

Vamos conhecer o nome de árvores frutíferas e algumas flores.

Faremos dobraduras como: árvores e flores.

Iremos fazer uma experiência de um jardim portátil, usando cascas de ovo, usar sementes ou mudas de flores.

Em linguagem faremos cruzadinhas, treino dos nomes das árvores.

Fazer desenhos, recortes e colagens sobre a natureza.

Conversar com os alunos sobre os animais.

Onde veremos que os animais são seres vivos. Eles nascem, crescem, se reproduzem, envelhecem e morrem. Falaremos sobre o nascimento dos animais que alguns nascem do ovo e que ele é chocado até que sua casca se quebre e nasça um lindo filhotinho.

Outros animais nascem como nós, seres humanos. Formam-se e crescem dentro da barriga da mãe, e depois de um certo tempo, nascem.

Comentaremos sobre a alimentação dos animais, há animais que se alimentam de plantas, outros de animais mesmo e existe os que comem os dois. Veremos as moradias dos animais onde há alguns que constroem



suas casas. Ex: aranha, abelha. Outros procuram lugares para se proteger, como: os macacos, os esquilos. E outros que cujas casas são construídas pelo homem: cachorro, gato.

Observaremos as diferenças que existem entre os animais, como: lugar onde vivem, o tamanho, a cobertura, o número de pés, locomoção. Veremos quais são os animais domésticos e os selvagens, os animais úteis e nocivos ao homem.

Faremos imitações onde a criança reproduzirá o som, a locomoção dos animais.

Realizaremos desenhos, pinturas, dobraduras, recortes, colagens, sucatas, modelagens, e construíremos um mobile de joaninhas.

Em linguagem, trabalharemos o texto: Joaninha (rimas), e as músicas: A minha Gatinha Parda, e o Pato; ambos com interpretação da música.

Em Matemática veremos a quantidade de patas dos animais.

Confeccionaremos um jogo da memória para cada um com os animais.

Realizaremos uma visita ao Museu da Água.



Avaliação:



Será avaliado a criatividade, a participação e o interesse pelas atividades dentro e fora da sala.

As atividades serão avaliadas para sabermos se houve a compreensão por todos sobre o assunto.

Encerraremos os projeto com um álbum contendo conversas e ilustrações sobre o tema.



Projeto: RECICLAGEM



Duração: Novembro/04



Objetivos:



• Compreender o período de decomposição de cada elemento;

• reconhecer os elementos prejudiciais a natureza;

• A conscientização da importância da reciclagem para o meio ambiente;

• Identificar para selecionar os materiais;

• Entender o processo de reciclagem;

• Despertar e desenvolver as capacidades potenciais dos alunos.

• Despertar cada criança para as inter-relações entre os elementos que compõem o meio ambiente, das quais os seres humanos são parte integrante.

• Atuação construtiva, que traga benefícios próprios e para a sociedade.



Conteúdo:



• O plástico

• O papel

• O vidro

• O metal



Estratégia:



Iniciaremos o projeto conversando sobre o homem em suas relações com a natureza, onde sempre foi equilibrada, porém nas últimas décadas, estes vem destruindo a paisagem, aniquilando a flora e a fauna, deteriorando em grande parte esse planeta: destroem as matas, poluem as águas, aniquilam espécies animais e suas próprias espécies. Dessa forma devemos conscientizá-los, de que se não podemos acabar com o lixo, podemos perfeitamente diminuí-lo. Pois reciclar permite que reduza o volume do lixo criando novas opções.

Realizaremos nosso trabalho com as crianças dentro da sala de aula com um cantinho destinado a receber materiais que os alunos poderão trazer de casa como: revistas, jornais, plásticos, caixas etc., enfim materiais que possam ser aproveitados de alguma forma, que iriam para o lixo, tornando-os úteis e interessantes.

Faremos cartazes com os anos de decomposição de cada elemento, mostrando o que é prejudicial ou não ao meio ambiente.

Desenvolveremos trabalhos fazendo montagens de murais, jogos, ditados, desenhos, pinturas, identificação de marcas, seriação, agrupamento, lateralidade, conceitos de maior/menor, pouco/muito, noção de comprimento, formas geométricas.



Construiremos brinquedos de sucata confeccionadospor eles mesmos.

Explicar aos alunos como funciona a reciclagem:

- reduz a poluição do solo, da água e do ar.

- diminui o desperdício

- evita o desmatamento

- melhora a limpeza da cidade.

Mostrar quais são os materiais recicláveis:

- vidro- litro de bebidas, copos (exceto lâmpadas)

- plásticos - sacos de leite, potes de margarina, e outros

- papel - papel de computador, papelão, revista e outros

- metal - latas, tubos de pasta de dente, tampas de garrafa, pregos e outros.

Ensinar a separar o lixo e a conscientização deste ato.

Após conversarmos e observamos sobre a reciclagem, iremos confeccionar papéis reciclados.



Avaliação:



A avaliação será feita através de observação e registro das falas dos alunos sobre o que aprenderam sobre reciclagem. Faremos anotações também do comportamento em relação a conscientização da importância do ato.



VIII - Sistemática de Avaliação



De acordo com a Lei 9.394/96, estabelece na Seção II, referente à Educação Infantil, artigo 31 que: “... a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental”.

A avaliação tem como objetivo verificar o processo evolutivo, o desempenho e o rendimento das crianças. Nesse processo para que se garanta a efetividade do trabalho docente torna-se importante que o professor tenha maior autonomia à medida que ele possa desenvolver instrumentos que organizem a sua prática reflexiva. Um dos instrumentos é a observação sistemática de atividades que, significativas e integradas permitem ao professor perceber as dificuldades e o progresso das crianças.

Para que a avaliação possa contribuir para enriquecer o trabalho do professor, é necessário que este a registre. Os registros das observações devem ser sistemáticos e o professor deve ter um lugar (um caderno, um fichário, no qual faça as suas anotações). Essas anotações serão feitas individualmente de cada aluno.

Ao praticar o registro das observações e trocando experiências com seus pares, o professor descobrirá a forma de avaliar mais adequada às suas condições de trabalho.

A avaliação não se restringe, apenas às crianças, mas deve atingir também aos professores, especialistas e demais profissionais envolvidos na ação pedagógica, deverá ser feita de forma sistemática através de auto-avaliação, discussão em grupo e análise dos resultados obtidos, visando o replanejamento e avaliação da prática pedagógica.



IX - Calendário da Instituição de Educação Infantil

Segue anexo